Jacto

É sobre o médico veterinário que recai, institucionalmente, o papel de atuar sobre a reprodução de espécies de produção, sejam elas domésticas ou não. Essa função obteve uma significativa contribuição com o aumento do número de técnicas utilizadas para tal, porém, é impossível ser dissociada de um efetivo controle zootécnico para satisfazer bons índices de eficiência reprodutiva. Uma das tecnologias empregadas a campo é o uso de Inseminações Artificiais em Tempo Fixo - IATF.

 

A técnica consiste em um protocolo de manejos realizados nas fêmeas bovinas que garantam a sincronização no ciclo estral desses animais. Essa similaridade nos eventos fisiológicos e metabólicos acontecendo entrega ao produtor um lote de animais que ovularão em dias predeterminados, dispensando o trabalho oneroso de visualização de cios. Os gargalos supridos com o emprego da técnica vão além pois também permitem melhorar o padrão genético da progênie, concentrar os nascimentos de bezerros de acordo com sazonalidades específicas, diminuir a necessidade de touros para o repasse das fêmeas, diminuir o risco de transmissão de doenças, intensificar o melhoramento animal, etc.

 

Diante das vantagens acima descritas, cabe salientar que a técnica exige planejamento, esse, iniciando no momento das parições. O período denominado puerpério, que se estende desde o parto até o retorno da atividade reprodutiva das fêmeas, é o primeiro dos fatores a ser considerado. O objetivo prático é que os animais tenham um anestro fisiológico de curto período e que retornem a ciclicidade reprodutiva o mais rápido possível. Para isso, entre os primeiros 30-45 dias pós-parto, a nutrição deve ser a principal aliada no sistema de produção.  Os números acima representados não fogem da realidade de produtores que garantem uma boa oferta de alimentos no pós-parto, o que inclui suplementação energético/mineral e/ou a adoção de estratégias de manejo alimentar como o creep-feeding, que na bovinocultura de corte são estratégias que podem culminar no mais rápido retorno da matriz a ciclicidade.

 

Outra peça chave do planejamento inclui a determinação do escore de condição corporal (ECC), essa métrica, mesmo que subjetiva, permite uma melhor correlação com a eficiência reprodutiva. Quando comparada com o peso vivo, o ECC não sofre variações intrínsecas do animal conforme horário do dia, repleção do trato intestinal, etc. Se buscam valores acima de 2,75, se a escala for de 1 a 5 de ECC, porém, esse número deve ser associado com a condição do animal não estar perdendo peso.

 

Além do período e estado corporal, o planejamento inclui a formação de lotes que viabilizem a contratação e o tempo empregado de um médico veterinário durante os dias do protocolo de IATF. Em novilhas, devemos preconizar lotes que não ultrapassem 80 animais, uma vez que essa categoria, normalmente, tem propensão a demandar um manejo de curral demorado e diferenciado no dia do protocolo. Enquanto em multíparas, facilmente podemos usar lotes com mais de 100 animais. Outro ponto frequentemente negligenciado envolve o a estrutura do curral e o ambiente nos dias do protocolo, condutas tranquilas e seguras das matrizes garantem o bem-estar animal, que nesse caso atua como um pré-requisito para obtenção de lotes eficientes, pois hormônios produzidos em decorrência de eventos estressores parecem ser antagônicos àqueles ligados a reprodução.

           

 

Com isso, percebe-se que cada propriedade deve julgar seu histórico, seus recursos, suas metas e seus animais antes de optar pela tecnologia. O programa de IATF, por si só, não aumentará a taxa de prenhez de um lote de animais se há restrição nutricional, em uma escala de ordem de eventos, a adoção de técnicas mais elaboradas de manejo reprodutivo deve ser precedida pelo atendimento das exigências nutricionais dos animais. Isto posto, vemos que o processo de escolha e uso da IATF é multifatorial, consequentemente, a taxa de concepção descrita na literatura é incapaz de indicar um valor absoluto, expondo índices que variam de 30 a 70%. Como síntese, me permito sumarizar a ideia em “A IATF objetiva o encontro do sêmen com o óvulo em dias predeterminados, porém, é o manejo que garante a prenhez”.

Bruno Emanuel Barreta
graduando em Medicina 
Veterinária CAV/UDESC


Este conteúdo é de uso exclusivo, não sendo permitida sua cópia e/ou réplica sem a prévia autorização do mesmo.




Deixe seu comentário

Lely
INOBRAM
J Malucelli

Facebook

Oro Agri
Biotrigo
Sicredi
Cresol
Safeeds
Bonetti Agronutri