Jacto

Final de novembro e a colheita no estado norte-americano está se encaminhando para a conclusão. No dia nove de novembro o Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) divulgou a última estimativa de colheita do país, mostrando números que realmente chamam a atenção. Abaixo estão descritos alguns destes para as duas principais culturas.

A cultura do milho apresenta uma área colhida de 83,1 milhões de acres com produtividade média de 175,4 bushels/acre, isso corresponde a aproximadamente 34 milhões de hectares colhidos com média de 11 toneladas por hectare. Ou seja, até 29 de outubro 54% da área total de milho plantada no país já havia sido colhida.

Enquanto que para a cultura da soja os números descritos estavam em 89,5 milhões de acres colhidos com produtividade média de 49,5 bushels/acre, sendo 36,2 milhões de hectares colhidos alcançando média produtiva de 3,3 toneladas por hectare. Isso totaliza 83% da área plantada.

              Diversas situações podem ser encontradas no país devido a sua grande dimensão. Em conversa com os agrônomos da Madden Ag Service a produtividade do milho dos clientes atendidos no estado de Iowa ficou entre 250-270 bushels/acre. Isso corresponde a 15-17 toneladas por hectare, superando as expectativas e ficando em valores próximos da safra passada. Enquanto que na fazenda Mcllonie no estado de Dakota do Norte os valores foram de 43 bushels/acre para o soja e 178 bushels/acre para o milho, ou seja, 2,8 e 11 toneladas por hectares respectivamente (TRENTIN, 2017).

            Um fato curioso que chama a atenção nesse período é a colheita acontecer em alguns locais mesmo com a presença de neve. Os estados de Dakota de Norte, Wisconsin e Minnesota foram os mais atingidos. Esse é um fenômeno totalmente inusitado para nos brasileiros porém comum para os americanos. Em conversa com produtores estes relatam que a neve se antecipou nesse ano, normalmente na fazenda Mcllonie esta é esperada no final de novembro quando a colheita já está no final porém esse ano a ocorrência aconteceu no início do mês de novembro, dificultando os trabalhos. 

            Com a neve presente na lavoura, a colheita pode ser realizada desde a temperatura esteja menor que -3°C com isso o gelo misturado com a palha passam direto por dentro colhedora, caso contrário com o aumento das temperaturas a palhada absorve a água e provoca o acúmulo de resíduos nas peneiras impossibilitando o prosseguimento da colheita. Outro ponto crucial levado em consideração é a quantidade de neve depositada na lavoura, esta deve ter altura menor que 30cm a fim de evitar que o maquinário agrícola fique preso.

            Já houveram anos que o milho permaneceu na lavoura durante dois ou três meses, até que a temperatura viesse a se elevar e a neve derretesse permitindo que a colheita fosse realizada. Neste caso corre-se o risco de danos causados pelo vento, neve pesada, vida selvagem e também pode ocorrer a perda de qualidade dos grãos (Ag Web,2014).

            Da mesma maneira que nós brasileiros temos problemas com as chuvas no momento da colheita, os produtores americanos tem o problema com a neve. Porém esse fato não tratará impacto na produção de grãos do país. Apesar da estiagem no decorrer da safra em alguns pontos do país as produtividades estão surpreendendo produtores e técnicos, superando o esperado porém não ultrapassando valores encontrados na safra passada. 

 

Artigo publicado na edição de Dezembro/17

Viviann Y. Einsfeld

Acadêmica de Agronomia – UTFPR-DV

Estagiária Cinnamon Ridge Farms e Madden Ag Services (Pioneer)

einsfeld.viviann@gmail.com  

 


Este conteúdo é de uso exclusivo, não sendo permitida sua cópia e/ou réplica sem a prévia autorização do mesmo.




Deixe seu comentário

Biotrigo
Safeeds

Facebook

Show Rural Coopavel
Matsuda
Oro Agri
Agral
Bonetti Agronutri
Agrishow 2019
Dispec
Cresol
Fankhauser