Jacto

Desde março deste ano, 17 startups, empresas jovens ou em fase de desenvolvimento, de base tecnológica, inovadoras e com modelo de negócio repetível e escalável, de Ponta Grossa, recebem orientações mercadológicas a partir do Programa Startup PR. A iniciativa do Sebrae/PR auxilia startups a estruturar e lançar novas soluções no mercado, além da buscarem recursos e investimentos. Na edição 2018, o programa é realizado em parceria com a Incubadora de Inovações, da Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR) e vem capacitando também os projetos pré-incubados, ou seja, aqueles que estão crescendo e ganhando maturidade.

Neste ano, participam do programa startups de áreas como agritech – startups que unem tecnologia e agronegócio, educação, transporte e mobilidade, gastronomia e turismo, lazer e entretenimento, varejo, saúde e bem-estar e até mesmo fintechs – startups que refletem a transformação digital no mercado financeiro. O Programa tem como base uma metodologia de pré-aceleração do Vale do Silício (nos Estados Unidos) e foco em modelos de negócios inovadores.

O empreendedor Henry Mazer é um dos participantes do programa. Ele é sócio da Useedup, uma plataforma de financiamento coletivo via moedas digitais – as chamadas criptomoedas. A startup está na fase do Produto Minimamente Viável (MVP), que é uma das primeiras etapas do processo empreendedor. “Fizemos algumas validações qualitativas e a expectativa é chegar ao final do processo com a plataforma operando. O programa é essencial para que isso aconteça. Pretendemos ainda levantar financiamento para alavancar a startup até o final do ano. Se isso não ocorrer diretamente com investidor, usaremos nossa própria plataforma”, comenta Henry. 

Segundo ele, o programa vem trazendo percepções importantes para o negócio. “Temos contatos com consultores que nos dão feedbacks e ideias importantes, assim como também temos a chance de nos conectar a investidores, que podem ajudar a alavancar a startup”, considera. 

Já a engenheira ambiental Clarissa Menezes de Souza, da startup Flos Ambiental, participa do programa com uma plataforma web de gestão ambiental para cooperativas agroindustriais. “Nossa plataforma fará o gerenciamento dos aspectos ambientais, como compromissos legais, recursos hídricos e resíduos sólidos, envolvidos nos processos produtivos das cooperativas”, explica a empreendedora. Para ela, a participação no programa também tem sido importante para a evolução do negócio.


Evolução e gestão

De acordo com a consultora do Sebrae/PR, Thaise Amaral Orita, o programa recebe empresas de diferentes setores que buscam atender demandas do mercado. “Recebemos diferentes tipos de empreendedores que identificaram um problema em um determinado segmento. Por vezes, está ligado às suas áreas de atuação ou são problemas que já vivenciaram em situações cotidianas. Percebemos que, quando a startup parte de um problema real e valida esta situação, identificando seu público alvo, as chances da solução dar certo são muito maiores”, comenta.

A gestora também reforça que os conhecimentos e orientações dos workshops vêm auxiliando os empreendedores com a questão da gestão. “A gestão é o grande diferencial em qualquer negócio. A partir dos workshops e mentorias, eles têm acesso a diferentes ferramentas e metodologias, que podem ser usadas em diferentes fases da startup, como por exemplo, o planejamento, o canvas e o design thinking. Sabemos que por mais que uma ideia seja boa e inovadora, o diferencial está nos empreendedores e como eles lidam com a gestão de seus negócios, principalmente diante de um mercado tecnológico que sofre mudanças a todo tempo”, considera.

A expectativa é que, até o final do ano, as startups tenham validado seus modelos de negócio e estejam aptas a apresentar seus projetos para investidores e operando no mercado. 

Acompanhamento e metas

Para a chefe do Departamento de Apoio a Projetos Tecnológicos e Gestora da Incubadora de Inovações da UTFPR, campus Ponta Grossa, Maria Carolina de Oliveira Ribeiro, o programa reuniu as ferramentas de duas grandes entidades – Sebrae e UTFPR, o que tem sido importante para o andamento dos projetos e o estabelecimento de metas. “Disponibilizamos para o programa ferramentas da UFTPR, o que permite o monitoramento das startups. Isso é importante porque conseguimos avaliar como estão os projetos e orientar de forma mais assertiva”, avalia. 

Segundo ela, participam do programa empreendedores comprometidos. “Já trabalhamos até o momento a qualificação até o processo de validação. Alguns já estão validando seus produtos e captando recursos. O mais importante é que estão todos sendo monitorados”, conclui. 


Vem crescer com o Sebrae
O Sebrae/PR é o parceiro certo para micro e pequenas que desejam crescer e estar sempre um passo à frente. Com mais de 45 anos de atuação, a entidade trabalha para fomentar o empreendedorismo, promover a competitividade, a inovação e disseminar conhecimento sobre gestão. Com o Sebrae/PR, as MPEs podem se diferenciar no mercado. Tanto quem deseja ampliar os negócios, quanto quem pretende começar um. 
Confira em http://www.sebraepr.com.br/umpassoafrente




Deixe seu comentário

Cresol
Safeeds

Facebook

Biotrigo
Oro Agri
Vencofarma
Dispec
Bonetti Agronutri
Calpar
Agral