Jacto

Gabriel Zylberlicht

Business Intelligence, Nutricorp 

Alongamento da safra e condições adversas no clima provocaram redução de 20 milhões de toneladas em relação à segunda safra do ano passado, segundo os dados da AgRural. 

Quando analisamos o calendário agrícola, de maneira geral, a segunda safra se inicia logo após a colheita da primeira, entre janeiro e maio. Momento em que o produtor entra com as semeadoras no campo, o principal objetivo é que a cultura receba as últimas chuvas do verão, fator essencial para o desenvolvimento da cultura. 

Essa safra, em especial, entrou muito tarde no campo, devido ao alongamento da primeira safra. Por outro lado, podemos dizer que esse foi um risco calculado pelo pecuarista, visto que não é vantajoso deixar a terra descoberta, sem cultura, além da oportunidade de melhor remuneração, considerando o aumento dos preços das commodities no mercado interno. 

Durante esse período, as baixas temperaturas, escassez de chuvas e registro de geadas reduziram ainda mais a produtividade. Em regiões como o estado do Paraná, as geadas provocaram a queima das plantas, impossibilitando o desenvolvimento dos grãos e provocando a quebra da safrinha. Por conta da menor produção e alta demanda do mercado externo, os pecuaristas se viram em um cenário muito complicado de oferta do principal alimento para o gado. 

Segundo os dados da CONAB/GEFOC, os estoques totais de milho em agosto estavam em 38,9 mil ton, 78% menor que no mesmo período do ano passado. As cotações da commodity reagiram à baixa oferta no mercado e fecharam o mês de agosto em 98,64 reais a saca, no Indicador CEPEA, o que representou alta de 1,2% em relação ao mês de julho.

Dessa maneira, a combinação do baixo estoque de milho no mercado interno com a aproximação do final da janela de colheita de uma safrinha fraca, traz um viés altista nas contações, o que pode refletir em grande dificuldade na compra da commodity no curto prazo. 

 

Sobre a Nutricorp

A Nutricorp, empresa referência em qualidade e inovação no agronegócio, é especialista em soluções criativas em nutrição e bem-estar de bovinos de corte e leite, tendo qualidade e segurança incorporadas no seu DNA, sempre visando a satisfação de seus clientes e o cuidado com o meio-ambiente. Com mais de 20 anos de mercado, a marca sempre atuou próxima aos produtores e fábricas, atendendo suas demandas com o máximo de expertise e personalização. Pioneira em transformar coprodutos da agroindústria alimentícia em produtos inovadores e eficazes criando novas soluções com foco em nutrição animal e desempenho produtivo na cadeia de ruminantes. Como principal valor, a companhia preza por suas relações com clientes, fornecedores e colaboradores, entregando e pensando sempre na promoção do melhor e como objetivo, seu desejo é nutrir com inovação as relações na agropecuária, assegurando sabor e saúde, na fazenda e na mesa. http://www.nutricorp.com.br




Deixe seu comentário

J Malucelli
INOBRAM

Facebook

Biotrigo

Enquete

Qual sua atividade?

Pecuária
Avicultura
Ovinocultura
Agrícola
Outra

43,16% : Pecuária
13,92% : Avicultura
4,87% : Ovinocultura
26,80% : Agrícola
11,25% : Outra

Safeeds