Versão Online

Produtores relatam problemas com milho ardido e prejuízos ainda serão contabilizados. Colheita deve ganhar ritmo a partir da próxima semana. Preços da saca do cereal giram em torno de R$ 20,00 e não cobrem os custos de produção. Na soja, cerca de 60% da safra ainda precisa ser negociada na região. Valores estão próximos de R$ 58,50 a saca.

O presidente do sindicato rural de Palotina (PR), Nestor Antônio Araldi, conta que os produtores ainda não conseguiram iniciar a colheita do milho safrinha por conta das chuvas, que vêm atrapalhando os trabalhos.

Pela previsão do tempo, a região deverá receber 15 dias de sol em breve. Este fator poderá, assim, ajudar o segmento dos trabalhos.

As preocupações com as chuvas vêm mais no sentido de uma deterioração do produto e não de um atraso na colheita. O milho que começará a ser colhido na próxima semana poderá ter milho ardido acima da média normal. "Estamos esperando começar a colheita para ver como é que vão ficar os prejuízos", diz o presidente.

Algumas variedades são mais sensíveis e poderão ter uma maior proporção deste problema, de até 50%. Provavelmente, estes produtores não devem conseguir cobrir os custos de produção.

A saca de milho gira em torno de R$20 na região. Já para a soja, ainda falta 60% da safra a ser negociada na região, com o preço de R$58,50 a saca.

 

Notícias Agrícolas




Deixe seu comentário

Facebook

Oro Agri