Versão Online

A acreditação abrange cinco ensaios laboratoriais relacionados a bactérias entomopatogênicas (específicas contra insetos).

 

A Coordenação Geral de Acreditação (CGCRE) do INMETRO (Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia) renovou no dia 23 de outubro de 2017 a acreditação do Laboratório de Bactérias Entomopatogênicas (LBE) da Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia para os serviços constantes no escopo da acreditação na norma ABNT NBR ISO/IEC 17.025 por mais dois anos, ou seja, até março de 2019, quando será feita nova reavaliação pelo CGCRE. A acreditação reconhece a competência técnica da Unidade para prestar serviços laboratoriais relacionados às bactérias entomopatogênicas Bacillus thuringiensis e Lysinibacillus sphaericus a empresas nacionais e internacionais.

 

A denominação entomopatogênica significa que as bactérias são específicas contra os insetos e inofensivas a seres humanos, animais e ao meio ambiente. No LBE, coordenado pela pesquisadora Rose Monnerat, são desenvolvidas pesquisas voltadas ao desenvolvimento de biolarvicidas à base desses e de outros bacilos para controlar pragas agrícolas e mosquitos transmissores de doenças, como por exemplo, o mosquito transmissor da dengue (Aedes aegypti) e a lagarta Spodoptera frugiperda, que é a pior praga do milho, entre outros. Essas bactérias são coletadas em diversos ecossistemas brasileiros e avaliadas como agentes de controle biológico contra insetos.

 

A primeira acreditação do LBE aconteceu em 2014, tornando-o apto a prestar os seguintes serviços: determinação da toxicidade de bioinseticidas à base de Bacillus thuringiensis e Bacillus sphaericus (Lysinibacillus sphaericus) a larvas de mosquitos e determinação da toxicidade de bioinseticidas à base de Bacillus thuringiensis a larvas de lepidópteros.

 

Em 2016, o escopo da acreditação foi estendido para mais três ensaios biológicos do Centro de Recursos Biológicos (CRB) nas normas de qualidade ABNT NBR ISO/IEC 17.025 e NIT-DICLA 061: identificação de Bacillus thuringiensis e Lysinibacillussphaericus (Bacillus sphaericus); teste de viabilidade de amostras de Bacillus thuringiensis e Lysinibacillus sphaericus (Bacillussphaericus) e teste de pureza de amostras de Bacillus thuringiensis e Lysinibacillus sphaericus (Bacillus sphaericus). Foi a primeira vez que um CRB brasileiro teve ensaios acreditados em normas internacionais de qualidade.

 

Hoje, a Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia tem cinco ensaios acreditados junto à CGCRE . "A renovação concedida ao LBE indica que estamos no caminho certo para tornar a Embrapa uma grande provedora de serviços científicos", comemora o chefe-geral da Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia, José Manuel Cabral.

 




Deixe seu comentário

Facebook

Oro Agri