Jacto

Na avaliação do diretor da Trajano Silva Remates, fundamentos de mercado sinalizam que preço da carne deve aumentar e valorizar ativos do setor

O segundo semestre para o mercado pecuário deverá ter um melhor rendimento de preços ao produtor em relação ao ano passado. A avaliação é do leiloeiro e diretor da Trajano Silva Remates, Marcelo Silva. A sinalização vem já dos resultados confirmados em leilões ocorridos nos últimos meses.

Para o especialista, a expectativa é que o reflexo seja sentido na próxima Temporada de Primavera da Pecuária Gaúcha. Silva se baseia nos fundamentos do que ocorreu no outono e vem acontecendo ainda agora, especialmente, no Brasil Central. “O leilão da GAP fez quase R$ 10 mil de média nos touros comerciais e as fêmeas entre R$ 3 e R$ 4 mil e o leilão Terra Boa fez R$ 16 mil de média nos touros Brangus. O mercado está aquecido, a demanda é grande e tudo deve se refletir na primavera, porque a tendência é que o preço da carne aumente e isso valoriza todos os ativos da pecuária”, destaca. 

O leiloeiro reforça que durante a Temporada de Outono foram praticados em alguns momentos preços fora da curva, chegando a R$ 7,30 o quilo do terneiro, e isso configura um panorama positivo no mercado. 

O diretor da Trajano Silva salienta também que o inverno está começando agora com o frio mais rigoroso e este fato faz com que o número de reprodutores fique reduzido. “Acredito que em função dos custos de produção a oferta será menor nestes remates que já temos elencados e já notamos uma redução entre 5% e 10%, o que reforça este nosso sentimento em que, havendo uma maior procura e a redução de oferta dos reprodutores, teremos preços iguais ao do ano passado ou até melhores”, finaliza.

 

Foto: Elder Filho/Divulgação

Texto: Nestor Tipa Júnior/AgroEffective




Deixe seu comentário

Safeeds
INOBRAM

Facebook

Biotrigo
Oro Agri
Real H
Cresol
Bonetti Agronutri