Jacto

Ninguém duvida que a produção da oleaginosa na tempo­rada 2016/2017 será maior que a an­terior, mas os percalços com clima di­minuíram as estimativas iniciais.

O plantio da soja na safra 2016/2017 está praticamente concluí­do no país e as plantas estão em pleno desenvolvimento. O clima segue atra­palhando alguns estados e favorecendo outros, enquanto a incidência de pra­gas e doenças como as lagartas, perce­vejos e a ferrugem asiática continuam trazendo prejuízos Brasil afora. Estes problemas levaram parte das entidades e consultorias do país a apostarem em um crescimento menos substancial da safra. Mas, o certo é que ainda é cedo para garantir qualquer coisa.

Oficialmente em seu último levantamento a Com­panhia Nacional de Abasteci­mento (Conab) prevê que a safra brasileira de soja ainda possa variar entre 101,5 e 103,5 milhões de toneladas, alta de 6,4% e 8,5%, respec­tivamente. Apesar de ressaltar que ainda é cedo para cravar um número, a Conab acredita que a safra brasileira deve fi­car em 102 milhões de tonela­das. Em seu primeiro levanta­mento a empresa acreditava que o limite superior chegaria a 104 milhões de toneladas, mas os problemas de clima ajudaram na revisão.

Por sua vez, o Depar­tamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA, na sigla em Inglês), diminuiu suas esti­mativas para a safra brasileira de 106 milhões de toneladas para 102 milhões, em linha com as projeções da Conab, justamente acreditando em alguma quebra de safra causada pelo clima.

Algumas consultorias também realizaram suas previsões. A consul­toria INTL FCStone, vai mais de en­contro com a Conab, e prevê algo em torno de 102 milhões de toneladas de soja. A consultoria destacou que já está considerando os percalços rela­cionados ao clima que já começaram a aparecer em algumas regiões, como é o caso do sul do Mato Grosso do Sul, que tem registrado menos chuvas que o necessário para o crescimento saudável das plantas. “Qualquer quebra nesse estado pode nos afastar das estimativas de produção nacional de soja”, alerta o consultor em gerenciamento de riscos Jorge Gracioli.

A mais otimista até o momento é a Safras & Mercado, com estimativa que a produção de soja no país chegue a 106 milhões de toneladas, 9,2% maior que a anterior. Na comparação com o relatório anterior, houve uma elevação de 2,5%. “Os dois principais estados produtores do Brasil tiveram elevações em suas expectativas de produção, refletindo, principalmente, o bom desenvolvimento das lavouras até o momento. Tais elevações natural­mente impactam de forma importante o potencial produtivo do país. A safra brasileira é promissora”, explica o ana­lista Luiz Fernando Roque. Soja Brasil




Deixe seu comentário

Facebook

Anuncie Expodireto

Enquete

Qual sua atividade?

Pecuária
Avicultura
Ovinocultura
Agrícola
Outra