Versão Online

As dietas formuladas para animais em período pré-parto possuem fundamental importância na propriedade, sendo que dela depende o futuro desempenho produtivo das vacas que virão novamente compor o rebanho lactante. As dietas aniônicas visam principalmente controlar de forma eficiente os casos de hipocalcemia subclínica, e precisam ser bem pensadas para que o resultado técnico exista. Muitos bons produtos estão sendo utilizados de forma aparentemente correta, na quantidade indicada em rótulo, porém muito errada do ponto de vista prático, considerando a influência dos demais alimentos da dieta no resultado final, o que resulta ou não em uma dieta devidamente aniônica.

Diversos fatores podem interferir negativamente no Balanço Catiônico Aniônico de uma dieta (BCAD). Resumidamente falando, a dieta pré-parto precisa ter uma maior carga de ânions em relação a cátions, e a participação de minerais via suplemento aniônico e “demais componentes da dieta” irão determinar ou não esta negatividade. Durante a lactação ocorre o inverso, ou seja, a dieta se torna catiônica. Caso não haja uma concordância técnica no quesito composição mineral “total” na alimentação, não teremos o efeito esperado de melhoria nos índices de cálcio sanguíneo circulante nas vacas em questão.

Na prática, durante o período pré-parto precisamos reduzir o consumo de cátions na dieta, sendo que os elementos principais a serem observados são o sódio “Na” e o Potássio “K”, presentes em vários alimentos utilizados na fazenda. Evitando o acesso à pastagens novas, em faze vegetativa, reduzimos o acesso à potássio (via pastejo ou volumosos conservados) sendo que o ideal é que animais neste período tenham sim acesso a volumosos em quantidade, porem pensando sempre em forragens “mais passadas” no objetivo de repleção de rúmen, mantendo capacidade física de ingestão de alimentos pela vaca. O uso de um feno de melhor qualidade (alta proporção de folhas) poderá ser permitido em pequena quantidade, caso o consumo de minerais aniônicos seja garantido em proporção adequada. Outro erro corriqueiro, é o de fornecer concentrado lactação ou acesso a mineral para lactação neste período; lembremos que estes alimentos são ricos em sódio e potássio. Tamponantes à base de bicarbonato de “sódio” precisam ser excluídos desta dieta, bem como o sal comum (cloreto de sódio).

O excesso do uso de silagem de milho (a vontade) também não tem se mostrado uma boa alternativa, pois o poder de anionicidade do suplemento utilizado (mineral ou concentrado aniônico) é diluído no restante da dieta, que também pode se tornar bastante energética. Normalmente, ao formularmos dietas de pré-parto, buscamos uma alimentação com níveis conservadores de amido, no objetivo de que os animais não ganhem nem percam peso, e sim apenas mantenham o escore de condição corporal. O uso de um bom concentrado aniônico neste período é de fundamental importância, possibilitando adaptação ruminal, assegurando uma fonte de proteína bruta da dieta total e principalmente garantindo o consumo total dos sais aniônicos, os quais geralmente não possuem boa palatabilidade. No objetivo de desvendar mais detalhes sobre o período de transição das vacas, assegurando um bom início de lactação, se faz imprescindível o acompanhamento técnico à propriedade, buscando o máximo desempenho técnico conforme a realidade de cada fazenda.

Artigo publicado na Edição de Agosto/17                           

Rodrigo Görgen Chaves 

Med.Vet. Me. /Tecg. Agroind.

Coasul Cooperativa Agroindustrial




Deixe seu comentário

Facebook

Oro Agri